MINISTÉRIO
VIDA EVANGÉLICA
LEITURA BIBLICA DIÁRIA
TEMAS INTERESSANTES JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZMBRO
01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31
BEM VINDO AO LEITURA BÍBLICA DIÁRIA

ORE POR ESTE MINISTÉRIO

TUDO QUANTO FIZERDES FAZEI COMO PARA O SENHOR

MEDITAÇÃO DIÁRIA


Evangelismo Pessoal Pela Internet. Contribua: Maxwell Alves Ag 0176-7 C/C 7105750-1. Obrigado!


Leitura referente 02 de janeiro
PROVÉRBIOS 1:7-9
07. O TEMOR do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.
08. Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe,
09. Porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.

SALMO 2:1-12
01. PORQUE se amotinam os gentios, e os povos imaginam coisas vâs?
02. Os reis da terra se levantam e os governos consultam juntamente contra o SENHOR e contra o seu ungido, dizendo;
03. Rompamos com as ataduras, e sacudamos de nós as suas cordas.
04. Aquele que habita nos céus se rirá, o SENHOR zombará deles.
05. Então lhes falará na sua ira, e no seu furor os turbará.
06. Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o santo monte de Sião.
07. Proclamarei o decreto: o SENHOR me disse: Te és meu filho, eu hoje de gerei.
08. Pede-me, e eu te darei os gentios por herença, e os fins da terra por tua possessão.
09. Tu os emigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como um vaso de oleiro.
10. Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra.
11. Servi ao SENHOR com temor, e alegrai-vos com tremor.
12. Beijai o filho, para que não se ire, e pereçais no caminho, quando em breve se acender a sua ira; bem-aventurados todos aqueles que neles confiam.

MATEUS 2:13-23
13. Tendo eles partido, eis que apareceu um anjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até que eu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar.
14. Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe e partiu para o Egito;
15. e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, por intermédio do profeta: Do Egito chamei o meu Filho.
16. Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente e mandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão se informara dos magos.
17. Então, se cumpriu o que fora dito por intermédio do profeta Jeremias:
18. Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto, [choro] e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável porque não mais existem.
19. Tendo Herodes morrido, eis que um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e disse-lhe:
20. Dispõe-te, toma o menino e sua mãe e vai para a terra de Israel; porque já morreram os que atentavam contra a vida do menino.
21. Dispôs-se ele, tomou o menino e sua mãe e regressou para a terra de Israel. 22. Tendo, porém, ouvido que Arquelau reinava na Judéia em lugar de seu pai Herodes, temeu ir para lá; e, por divina advertência prevenido em sonho, retirou-se para as regiões da Galiléia.
23. E foi habitar numa cidade chamada Nazaré, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio dos profetas: Ele será chamado Nazareno.

MATEUS 3:1-6
1. Naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia e dizia:
2. Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.
3. Porque este é o referido por intermédio do profeta Isaías: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.
4. Usava João vestes de pêlos de camelo e um cinto de couro; a sua alimentação eram gafanhotos e mel silvestre.
5. Então, saíam a ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a circunvizinhança do Jordão;
6. e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.

GÊNESIS 3:1-24
1. Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?
2. Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer,
3. mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais.
4. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis.
5. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.
6. Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu.
7. Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.
8. Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim.
9. E chamou o SENHOR Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás?
10. Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi.
11. Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?
12. Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi.
13. Disse o SENHOR Deus à mulher: Que é isso que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.
14. Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida.
15. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
16. E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará.
17. E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida.
18. Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo.
19. No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.
20. E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos.
21. Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.
22. Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente.
23. O SENHOR Deus, por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado.
24. E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida.

GÊNESIS 4:1-26
1. Coabitou o homem com Eva, sua mulher. Esta concebeu e deu à luz a Caim; então, disse: Adquiri um varão com o auxílio do SENHOR.
2. Depois, deu à luz a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim, lavrador.3 Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.
4. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta;
5. ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante.
6. Então, lhe disse o SENHOR: Por que andas irado, e por que descaiu o teu semblante?
7. Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.
8. Disse Caim a Abel, seu irmão: Vamos ao campo. Estando eles no campo, sucedeu que se levantou Caim contra Abel, seu irmão, e o matou.
9. Disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: Não sei; acaso, sou eu tutor de meu irmão?
10. E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama da terra a mim.
11. És agora, pois, maldito por sobre a terra, cuja boca se abriu para receber de tuas mãos o sangue de teu irmão.
12. Quando lavrares o solo, não te dará ele a sua força; serás fugitivo e errante pela terra.
13. Então, disse Caim ao SENHOR: É tamanho o meu castigo, que já não posso suportá-lo.
14. Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua presença hei de esconder-me; serei fugitivo e errante pela terra; quem comigo se encontrar me matará.
15. O SENHOR, porém, lhe disse: Assim, qualquer que matar a Caim será vingado sete vezes. E pôs o SENHOR um sinal em Caim para que o não ferisse de morte quem quer que o encontrasse.
16. Retirou-se Caim da presença do SENHOR e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.
17. E coabitou Caim com sua mulher; ela concebeu e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade e lhe chamou Enoque, o nome de seu filho. 18. A Enoque nasceu-lhe Irade; Irade gerou a Meujael, Meujael, a Metusael, e Metusael, a Lameque.
19. Lameque tomou para si duas esposas: o nome de uma era Ada, a outra se chamava Zilá.
20. Ada deu à luz a Jabal; este foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado. 21. O nome de seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta.
22. Zilá, por sua vez, deu à luz a Tubalcaim, artífice de todo instrumento cortante, de bronze e de ferro; a irmã de Tubalcaim foi Naamá.
23. E disse Lameque às suas esposas: Ada e Zilá, ouvi-me; vós, mulheres de Lameque, escutai o que passo a dizer-vos: Matei um homem porque ele me feriu; e um rapaz porque me pisou.
24. Sete vezes se tomará vingança de Caim, de Lameque, porém, setenta vezes sete.
25. Tornou Adão a coabitar com sua mulher; e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Sete; porque, disse ela, Deus me concedeu outro descendente em lugar de Abel, que Caim matou.
26. A Sete nasceu-lhe também um filho, ao qual pôs o nome de Enos; daí se começou a invocar o nome do SENHOR.

002 - Saudosa Lembrança


Oh! que saudosa lembrança
Tenho de ti, o Sião,
Terra que eu tanto amo,
Pois és do meu coração.
Eu para ti voarei,
Quando Senhor meu voltar;
Pois Ele foi para o céu,
E breve vem me buscar.

coro

Sim, eu porfiarei por essa terra de além;
E lá terminarei as muitas lutas de aquém;
Lá está meu bom Senhor, ao qual eu desejo ver;
Ele é tudo p'ra mim, e sem Ele não posso viver.

Bela, mui bela é a esperança,
Dos que vigiam por ti,
Pois eles recebem força,
Que só se encontra ali;
Os que procuram chegar
Ao teu regaço, Ó Sião,
Livres serão de pecar
E de toda a tentação.

Diz a Sagrada Escritura,
Que são formosos os pés
Daqueles que boas novas
Levam para os infiéis;
E, se tão belo é falar
Dessas grandezas, aqui,
Que não será o gozar
A graça que existe ali!